Curumim Poranga – Neli Guiguer

Giovani, um menino de dez anos, estava interessado em aprender a língua tupi. Em uma sala de bate-papo da internet, procurou por um indígena. Foi nesse contato que ele conheceu Curumim Poranga, descendente de índios, que revelou um segredo a Giovani: ele já falava tupi.

Pesquisadora e estudiosa da cultura indígena, Neli Guiguer dá uma lista de palavras oriundas do tupi que nomeia os lugares, a fauna e a flora do Brasil. Fio condutor que faz uma proposta de reflexão sobre a identidade do povo brasileiro, que, mesmo sendo resultado de uma mistura de etnias, há de lembrar que os verdadeiros descobridores deste solo-mãe foram os indígenas. Tão espantado quanto Giovani, o leitor deverá ficar, tamanha a influência do tupi no português falado no Brasil.

As ilustrações de Fernando Vilela acompanham o tom jovial que a autora imprimiu no texto e derrubam o estereótipo do indígena isolado, vestido de tanga, vivendo nas matas, longe dos benefícios que a tecnologia proporciona.

R$34,50

Em estoque

Peso0.140 kg
Dimensões20.5 × 27.5 cm
Editora

Paulinas

ISBN

9788535641295

Edição

2. ed.

Ano

2016

Ilustrador

Fernando Vilela

Coleção

O universo indígena. Série Raízes

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Curumim Poranga – Neli Guiguer”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de…

  • Adicionar ao carrinho

Awyató-Pót: histórias indígenas para crianças – Tiago Hakiy

Awyató-pót: histórias indígenas para crianças é uma obra que se caracteriza pela bravura do povo Mawé, representada nos contos pela figura mítica que dá título ao livro. São quatro histórias. A primeira história conta sobre o nascimento do curumim, fruto da união de uma índia metamorfoseada em cobra com um gavião real. Na segunda, é contada a valentia e o caráter de liderança de Awyató-pót que conseguiu negociar com a Surucucu a Noite para levá-la a sua tribo. Na terceira, o índio derrotou o monstro Juma, devorador de seus parentes e na quarta, em que Awyató-pót, já viúvo e dominado pelo ciúme que tinha da filha, é enganado pelo sapo O ók que desposou a moça. As histórias de Awyató-pót podem ser lidas como as narrativas de aventuras singulares e imprevistas de um mito que sintetiza a cultura de um povo que, ao ser interpretado sob a visão microcósmica, nos ensina que a Humanidade, aqui e acolá, enfrenta os mesmos desafios: garantir a existência. As histórias contadas por Tiago Hakiy dão o recado do povo indígena Mawé: o desejo de aproximar o mundo mítico dos índios ao mundo das crianças da cidade.

R$31,40

Ver Produto
  • Adicionar ao carrinho